Autoras

Esta são algumas das mulheres que amo. Em sua poesia há um pouco de mim e dos que me vão ajudando a descobri-las.

Ada Ciocci
Brasil (1916)

Acalanto

Adélia Prado
Brasil (1935)

O vestido
O amor no éter
Moça na cama
Pranto para comover Jonathan
Com licença poética

Alda Lara
Angola (1930)

Rumo
Prelúdio

Alda Pereira Pinto
Brasil

Prelúdio XI
Scherzos II

Amália Rodrigues
Portugal (1920)

Lágrima

Alfonsina Storni
Argentina/Sua (1882 - 1938)

Homem pequenino
A carícia perdida

Alice Ruiz
Brasil (1946)

Renga da noite
Hai-kai
Hai-kais
Teu corpo seja brasa
Drumundana

Ana Cristina Cesar  &
Brasil (1952-1983)

19 de abril
Samba-canção
Um beijo
Anônimo
Que deslize

Ana Cristina Pozza
Brasil

Profissão: Mulher
Lua alta

Ana Júlia Monteiro Macedo Sança
Cabo Verde

Emigrante

Angela Melim
Brasil (1952)

Um amor impossível
Rabo de galo
No peito
Um navio

Astrid Cabral
Brasil

Modo de amar

Augustina Bessa-Luís
Portugal (1922)

Garras dos sentidos

Carla Dias
Brasil

Suicida
Ausência

Cecília Meireles   &
Brasil (1901-1964)

Venturosa de sonhar-te
A arte de ser feliz
Se eu fosse apenas...
Até quando terás, minha alma, esta doçura
Por que nome chamaremos
Motivo
Vôo
Os gatos da tinturaria
Colar de Carolina
A chuva chove...
Ou isto ou aquilo
Lua adversa
Pescaria
Mulher ao espelho

Cida Villela
Brasil

Decepção

Clarice Lispector   &
Ucrânia/Brasil (1925-1977)

Dá-me a tua mão
A lucidez perigosa
Mas há a vida
Quero escrever o borrão vermelho de sangue
Meu Deus, me dê a coragem

Claudia Pastore
Brasil

Meu poema

Cora Coralina
Brasil (1889-1985)

Todas as vidas
Mulher da vida

Cristiane Neder
Brasil

Os cogumelos do Paraíso
Queria experimentar no seu corpo todos os
lugares do mundo juntos
Águas de Forestier

Cristina Lacerda
Brasil

Tem uma outra cabeça
Sobrevida

Diana Bellessi
Argentina (1946)

Não me mandes para o canto

Dolores Duran
Brasil (1930-1959)

A noite do meu bem

Dora Ferreira da Silva
Brasil

Habitas meu coração
Valsa de Esquinas de Mignone
Utopia

Dorothy Parker
EUA (1893-1967)

Ser mulher

Eliana Mora
Brasil

Espanto
Noite de mendigo

Eliane Pantoja Vaidya
Brasil

Álbum japonês

Elisa Lucinda
Brasil (1958)

Cor-respondência
Aviso da lua que menstrua
O poema do semelhante
Café pode

Elizabeth Barret Browning
Inglaterra (1806-1861)

Como te amo?
Catarina a Camões

Elizabeth Bishop
EUA (1911-1979)

Uma arte
O banho de xampu

Eugénia Tabosa
Portugal (1931)

Esse olhar
Sonhei comigo
Sete luas
A gata
Destino

Fátima Carvalho
Brasil (1962)

Faz-de-conta

Fernanda de Castro
Portugal

Asa no espaço
Fim de Outono

Fernanda Pittelkow
Brasil

Catarse

Flora Figueiredo   &
Brasil (1951)


Vento novo
Lição de casa
A pedidos
Flutuações
Enlevo

Florbela Espanca   &
Portugal (1894-1930)

Fumo
Supremo enleio
Sem título (Namorados)
À morte
Ódio
Que importa?...
Fanatismo
Loucura
Exaltação
O teu olhar
Tortura
Eu...
Ser poeta
Se tu viesses ver-me...
Da minha janela
Horas rubras
Nihil novum
Toledo
A vida

Gabriela Marcondes
Brasil

Hai-kais

Gaspara Stampa
Itália (1524-1554)

Soneto
No dia...

Gilka Machado
Brasil (1893-1980)

Saudade
Fecundação
O retrato fiel
Ser mulher
Odor dos manacás

Giovanna Santos
Brsil

Madrugada

Gisele Mazzonetto
Brasil

Doce amargura

Helena Kolody
Brasil (1912)

Haicai

Helena Ortiz
Brasil

Prioridade para o social em tempos de FHC

Henriqueta Lisboa
Brasil (1904-1985)

Canção do berço vazio
Um poeta esteve na guerra
Comunhão

Hilda Hilst   &
Brasil (1930)

Que este amor não me cegue nem me siga
Aquele outro não via...
Fragmentos
E por que haverias de querer...
Poesia XX
Poesia I
Poesia XXII
Do amor XXXV

Iara Vieira
Brasil

Segredo

Irene Gruss
Argentina (1950)

Queridos pés

Irene Lisboa   &
Portugal (1892-1958)

Afrodite
Jeito de escrever

Isabel Machado
Brasil

Nua

Janete Rodrigues Ribeiro
Brasil

Estranha saudade

Júlia Lopes de Almeida
Brasil (1862-1934)

A laranjeira

Leila Míccolis
Brasil (1947)

A seco
Ponto de vista
Engorda
Tentativa de suicídio
Sempre, de vez em quando

Lenilde Freitas
Brasil

A Florbela Espanca
A Silvia Plath
A Alfonsina Storni
A Fernando Pessoa

Lídia Jorge   &
Portugal (1946)

Fado do retorno
Sou de vidro

Louise Labé
França (1526-1566)

Soneto
Poema

Lya Luft
Brasil (1938)

Tão sutilmente em tantos breves anos
Estranho também esse amor

Lúcia Villares
Brasil

Lua
Cynthia

Luiza Amélia de Queiroz
Brasil (1846-1858)

O homem não ama

Manuela Amaral
Portugal

Mulher (em definição)
Fatalismo
Auto de fé
Rebeldia
Teu corpo/meu espaço
De nós em limite
Posse intemporal
Coreografia

Marcela Bueno
Brasil

Por fim lhe traí

Márcia Fasciotti
Brasil

Madrugada
Beija-flor

Marguerite Duras
França (1914-1996)

Ontem à noite

Maria Azenha
Portugal

Talvez
Recordação

Maria Carlos Loureiro
Portugal

Primeiro foram os dedos
O amor em linguagem de computador

Maria Isabel
Brasil

A hora vazia

Maria Manuela Margarido
São Tomé e Princípe (1926)

Vós que ocupais a nossa Terra

Maria Suely de Oliveira
Brasil (1948)

São Paulo

Maria Teresa Horta
Portugal (1937)

Poema sobre a recusa
Desperta-me de noite
Poema antigo
Minha senhora de mim
Roteiro de Lisboa

Maria Teresa M. Carrilho
Portugal

Como uma flor vermelha, a abrir
Não, hoje não saio...
A García Lorca

Marilena Gomes Ribeiro
Brasil

Acaso

Marília Melo
Brasil

Minha amiga, a covardia

Marina Colasanti   &
Etiópia/Brasil (1937)

Às seis da tarde
Tua mão em mim
Preciso, para
Sexta-feira à noite
Frutos e flores

Maysa
Brasil (1936-1977)

Ouça

Mônica Banderas
Brasil

Ricardo

Myrian Fraga
Brasil

Maria Bonita
Março
Possessão

Nalú Nogueira
Brasil (1962)

Fazer estrelas

Natália Correia   &
Portugal (1923-1993)

Mãe Ilha
Nictofagia
O sol nas noites e o luar nos dias
Sete luas
O espírito
A defesa do poeta

Nathálie P. Gama Duarte
Brasil

Traição

Noémia de Sousa
Moçambique (1926)

Moças das docas

Olga Savary
Brsil (1933)

Amor

Patricia Clemente
Brasil

Seios
Luto
Sensatez

Raquel Naveira
Brasil (1957)

Cabelo
Jasmim-do-cabo

Renata Pallottini
Brasil (1931)

Primeiro foi a noite
Esta canção
Cerejas, meu amor

Rita Barém de Melo
Brasil (1840-1868)

Minha lira a suspirar
Vem!

Rita Lee
Brasil (1947)

Doce vampiro

Rosalía de Castro
Galícia (1837-1885)

Cantar de emigração

Roseli Silveira
Brasil

Definições

Safo
Grecia (cerca de 660 A.C.)

A Átis
A uma mulher amada

Salette Tavares
Brasil

Amor silêncio

Sophia de Mello Breyner Andresen
Portugal (1919)

Liberdade
Cantar
Um dia
Bebido o luar
Porque
As pessoas sensíveis

Stela Fonseca
Brasil

Prazer e êxtase
Desejo

Sylvia Plath   &
USA/Inglaterra (1932-1963)

Ariel
Criança
Febre 40
Lesbos

Teca
Brasil

Um sonho lindo

Tereza Cristina Fraga
Brasil

Nublando

Vera Maya
Brasil

Desejo

Violante do Céu
Portugal (1602 - 1693)

Soneto

Virgínia Schall
Brasil

Evocação feminina
Beijo
Secretamente

Yolanda Morazzo
Cabo Verde

Barcos

Yeda Prates Bernis
Brasil

Hai-kais

Zélia Duncan
Brasil

Não tem volta

Zezé Pina
Portugal/Brasil (1954)

Hai-kais